22.5.16

De mim

Sinto saudade de mim, da pessoa que eu era em Portugal.
É sabido que apesar da nossa personalidade mais ou menos definida, pessoas diferentes obtêm reacções diferentes da nossa parte. É sabido que reagimos perante a situação e a pessoa ou pessoas. É algo parte do ser.
E eu tenho saudade da pessoa que era antes deste presente. A pessoa que se foi desenvolvendo desde os 18 anos e que foi saíndo da timidez constante para uma segurança que sustentava a capacidade de diálogo sobre qualquer assunto com qualquer pessoa.
Ao longo deste tempo, percebi o verdadeiro significado do "lost in translation" e sinto que um pedaço de mim ficou perdido nesse limbo. O que também me impede de mostrar aquela pessoa que conquistou tanto. Por vezes chego a não gostar desta pessoa submissa, que por se sentir sozinha anseia, por agradar, anseia pelo infimo contacto dos outros e pela compreensão sem ser necessária uma explicação, inerente às amizades que estão demasiado longe.
Tenho medo de me transformar numa pessoa amarga e frustrada e ainda não percebi como gerir esta insatisfação do meu ser. Sinto-me a regredir em vez de evoluir.
Talvez o voltar a escrever seja uma forma de me encontrar novamente...talvez.

Sem comentários: