28.3.15

o tempo

O tempo insiste em manter-se nublado, com alguns momentos de sol que eu aproveito para me perder a fotografar pela cidade. Entretenho-me a olhar e a ver o que se passa à minha volta, em todas as coisas que mudaram, em tudo o que ainda pode vir a acontecer. É engraçado como aos 34 anos falo dos meus 20’s como se de uma grande aventura se tivesse tratado. E na verdade acho que apesar dos momentos menos bons, o que ficou desse período, foram mesmo uma série de aventuras com direito a romance e intriga e pessoas mais ou menos relevantes. E quero chegar aos 40 pensar o mesmo dos meus 30. Tenho uma boa vida social, conheço pessoas, tenho conversas engraçadas, riu-me e se por vezes me sinto sozinha no meio do riso, isso é algo que sempre me acompanhou e posso simplesmente optar por lhe dar o verdadeiro pouco valor que tem. Posso escolher relembrar as situações caricatas e divertidas que acontecem no dia-a-dia. Porque por vezes o não viver numa eterna tristeza também resulta da nossa vontade.
Não me sinto minimamente adulta, nunca senti, acho que continuo a ser a menina da minha avó. Sempre fui responsável e nunca foi essa a questão, mas é o ter responsabilidades o que nos define como adultos? O que é ser adulto?
Por vezes parece que nem sei muito como cheguei aqui. Sei que tudo se processou numa série de acontecimentos sucessivos e tomadas de decisão no momento, e de anos a passar, mas já aprendi que na realidade nos não temos nada definido nem determinado. Antes de chegar aos 26 anos sempre achei que essa seria a idade em que eu gostaria de ser mãe, mas agora que olho para trás, nem sequer me lembro do que aconteceu durante o ano dos meus 26. E tenho a nítida sensação que ser mãe não poderia estar mais longe do meu pensamento nessa altura. E se por um lado a vida e as minhas escolhas me conduziram ao dia de hoje, não quero passar os anos sem aproveitar o que a vida tem para me dar, não me quero anular ou acomodar. Aproveitar para viver o que existe para viver na altura e se neste momento isso passa por sair à noite e me divertir, então porque não?

Sem comentários: