2.3.15

memórias

A nossa mente é perigosa, por vezes parece um miúdo traquinas que gosta de nos pregar partidas ou uma menina mimada que bate o pé e insiste naquilo que nos martiriza. Quando a nossa mente insiste em recordar certos momentos ou memórias que nos recordam sentimentos, podemos ter vários resultados. Mas por algum motivo ela insiste em recordar memórias de uma passado em que os sentimentos mais fortes se manifestaram, para bem e para o mal. Camões “elogiava” o passado nos seus sonetos. E realmente, raramente estamos contentes com o presente. A nostalgia é algo que assombra o ser humano (principalmente se é português). O sofrer por amor, associado à nostalgia é algo que nos atormenta e que resiste a todas a tentativas de optimismo ou distracção. E não acredito na teoria do novo amor para resolver o último, até porque raramente chega a ser amor, é quando muito uma distracção e vale o que vale.
Mas então qual é a solução? Claro que não existe! Pelo menos não imediata. O tempo e vida encarregam-se de dar um novo significado às memórias e aos sentimentos associados a essas memórias. Mas enquanto isso não acontece…

Sem comentários: