9.2.15

onde vives?

Hoje foi um dia igual a tantos outros. Sem nada de extraordinário. Sem momentos preciosos ou emocionantes. Estes dias são bem mais comuns do que os outros. Mas os outros proporcionam-nos sentimentos que compensam pelos dias do dia-a-dia. E foi neste dia que escolhi dizer adeus a duas pessoas que tiveram impacto na minha vida. Foi um impulso do momento, como de resto muito do que eu faço quando dou muita liberdade aos seres emocionais que habitam por aqui, no sentido oposto da minha obsessão com a organização dos aspectos práticos e inescapáveis. 
A primeira pessoa, para quem muitos dos posts no inicio deste blog foram escritos, a segunda, para quem alguns dos posts antes de me mudar para a Suécia foram escritos.
O adeus não foi para eles. Foi apenas para mim. Eventualmente deixa de fazer sentido agarrar-mo-nos a situações do passado. Momentos bons ou momentos maus, sentimentos que já não fazem parte da nossa realidade. 
A minha realidade mudou, há quase 2 anos, mas talvez eu tenha esta incoerência natural de viver num sítio mas ainda não ter começado a viver realmente. 

Sem comentários: