2.2.15

neve

Está a nevar. Nunca pensei gostar tanto de neve. Ainda sinto uma saudade imensa do nosso mar, das ondas, do tom de azul, mas sinto uma alegria enorme quando vejo tudo coberto por um manto branco.
Nem sempre conseguimos explicar os nossos gostos ou sentimentos. Sentimos sempre a tentação de racionalizar, encontrar uma explicação, por mais incongruente que seja. Mas existem sentimentos, por vezes condicionados por experiências passadas, que não podem ser explicados.
Continuamos a insistir em racionalizar todas as situações. A traição que se comete, o coração que se quebra, a pessoa que se perde. A pessoa que somos. As escolhas que fazemos.
E passamos anos na dúvida que nos assalta. Afinal quem somos?
A neve continua a cair lá fora.

Sem comentários: