4.11.09

Dream vs real?

artist: xBluepearlx

Parece-me que na maioria das vezes nos apaixonamos por ideias. Idealizamos pessoas, idealizamos situações, sonhamos com o que poderia ser, nem que seja por uma milésima de segundo... E quando a realidade não corresponde, ficamos sem chão e a ver os sonhos desvanecer. Então tentamos racionalizar ao máximo, para não cairmos na tentação de idealizar de novo, o que secretamente continuamos a fazer...é incontrolável.
Mas o que fazer quando o coração se recusa a aceitar a razão? Continuamos em frente, mesmo que os sonhos nos puxem para..., porque a realidade continua eternamente presente. Esta sim não desvanece. No fundo o sonho nunca teve hipótese. E será esta uma visão derrotista ou realista das coisas? Na realidade...não faço a menor ideia, mas o sonho continua à espera de ser real.

6 comentários:

criptog disse...

O truque é uni-los! :)

nika_liu disse...

Isso nem sempre é possível...

criptog disse...

Haverá pontos de ligação - Os sonhos fazem parte da tua realidade? A realidade tem algo dos teus sonhos? - que os tornem aproximáveis pela força da intenção? Se ambos se tocam, a mudança de um ocorre com a mudança dos dois. (digo eu, fora de contexto)

nika_liu disse...

O contexto é a idealização das pessoas por quem nos poderiamos vir a apaixonar, criar falsas expectativas sobre as quais apenas nós somos responsáveis enquanto sonhadores de olhos abertos que não conseguimos ver a realidade demasiado diferente do sonho, mas que na essência é a realidade do outro. Existem pontos em comum sim, mas a idealização foi demasiado longe e até certo ponto torna-se frustrante demais restringir-mo-nos apenas à realidade que será eternamente aquém do sonho.

criptog disse...

O sonho também pode turvar a percepção da realidade de forma a que só se perceba um "aquém" da sua profundidade. Assim, uma assimetria entre sonho e realidade talvez possa vir de uma simultaneidade simétrica de "aquéms". Pelo lado positivo, a percepção do "aquém" pode ser animadora pela indicação de que há um "além"! (digo eu, ainda genericamente, sem noção de contextos pessoais)

Anónimo disse...

Não podia encontrar nada mais lúcido nesta manhã de domingo (manhâ, porque acordei agora). Pois é, estas idelaizaçãoes consomem-nos por dentro até limites que não podemos prever... Só para que se perceba, descobri uma música dos HIM "beautiful" que ilustra de forma intensa o estado de uma idealização doente. Porque ninguém é assim tão magestral e digno de devaneios obsessivos.Encontrei o o teu blogue ao caminhar por atalhos, que estão ligados a uma procura de um objecto amdado (que já mais nos amará). Bela reflexão sobre isto tudo (já que doentes obsessivos resumem o amor a TUDO).