18.1.09

Os jovens trabalhadores de hoje...


Neste momento tenho uma dor de cabeça considerável, um peso sobre os olhos que se querem fechar...e isto tudo porque de repente enquanto jovens trabalhadores somos obrigados a aceitar toda e qualquer imposição que apeteça ao Dr. que nem sequer um doutoramento tem ou sequer nível para agir como tal...porque os chefes de hoje têm sempre a seguinte frase na ponta da língua: "Olha que se não quiseres, há mais quem queira."

Não interessa se recebes uma miséria, não interessa se trabalhas bem, não interessa que haja pessoas que não fazem nenhum mesmo ali ao teu lado e levam um ordenado melhor do que o teu para casa, não interessa se tens qualificações a mais para aquela função, não interessa que trabalhes horas extraordinárias em excesso...porque para eles nada é em excesso...e o melhor de tudo é que quanto mais fazes, mais eles querem que faças, mesmo que ao lado esteja alguém que não faz, não quer fazer, não quer nem saber e recebe o triplo do teu ordenado. Por mais que se goste do que se faz não há prazer que resista...

Como se todos fossemos um bando de incompetentes que temos de dar graças simplesmente pelo facto de termos um trabalho, nem que seja apenas para receber um ordenado minimo. De facto nós jovens trabalhadores não podemos ter direito a mais nada...a não ser suplicar para que não nos mandem embora no próximo mês ou que o dito chefe não nos desfaça a imagem junto de futuros empregadores...

Tenho 27 anos e ganho 550€ por mês, com o qual pago um quarto de 200€, as contas, a comida, a roupa...e dou-me ao "luxo" de ter a minha placa de internet, de ir ao cinema, de ter comprado uma máquina fotográfica que estou a pagar...porque não aguentaria uma vida sem as pequenas coisas que fazem dela merecer ser vivida...mas aparentemente nem isso deveriamos poder desejar ou sequer ter...

7 comentários:

Miss Kitty disse...

Resta pensar que melhores dias virão..

Força!

BJS*

criptog disse...

Interessa! Mas não é a eles que tem de interessar ... é a ti!

Anónimo disse...

estou vendo que queres ser advogada, estas a estagiar né?? bom se for o caso, sei que vos tratam mesmo como escravas mas, tens de ter paciência, está quase no fim e acho que todos passam por isso.Agora com 27 anos já não és assim tão jovem, tens que saber te impor para não seres espezinhada. com essa idade estava no estrangeiro sozinho, sem amigos ou familiares a trabalhar também que nem um escravo para poder ter contracto para o ano seguinte, a diferença é mesmo o ordenado. ganhas uma miséria, imagina os milhões que ganham como tu e têm de sustentar famílias. não penses no que está mal,não olhes para o que os outros que estão melhor, vê e tentar entender os que estão pior sempre procurando melhor e irás encontrar e viver feliz.

(Ch)

nika_liu disse...

Anónimo, não quero ser advogada e este não pretendia ser um texto de auto-comiseração, exactamente porque sei que existem pessoas que não se podem dar aos mesmos "luxos" que eu ainda posso dar, "but just because it is, doesn't mean it should be!", e se ainda não considerei sequer uma familia é porque considero que nem sequer tenho condições financeiras para ter uma familia. De resto nunca fui adepta de pensar na infelicidade dos outros para me felicitar com as coisas boas que tenho, cada um tem a sua vida e as suas preocupações, não está em causa se são maiores ou menores, está em causa o facto de que poucos jovens em Portugal hoje em dia olham para o futuro com esperança, o sentimento maior ainda é o medo pelo que lá vem e a desilusão por estarmos financeiramente onde estamos enquanto grupo social.

merenwen disse...

A História é ciclíca e parece que estamos a voltar ao tempos da Revolução Industrial em que o proletariado são agora os jovens recém-licenciados com excesso de qualificação.
Estou numa situação parecida, com a agravante que o meu contrato termina no fim de fevereiro e as perspectivas são péssimas. Revejo-me em tudo o que disseste.
O Mário Soares dizia á pouco tempo que temia uma revolução de jovens como na Grécia. Eu acho os portugueses comodistas e brandos de mais, mas quem dera uma revolção...a ver se o Governo se assustava e impedia os recibos verdes e os estágios de 3 meses em que, independentemente de se ser bom no trabalho ou não, as empresas despedem e voltam a contractar como bem entendem.

Miss K. disse...

neste momento, tenho vergonha em ser portuguesa. pode ser que um dia volte a ter orgulho, mas neste momento, não.

Anónimo disse...

bom! posso dizer que concordo com vocês e não foi minha intenção fazeres comparações com outros mas sim tentar minimizar tua frustração quanto ao trabalho e ao ordenado.Realmente o País está a travessar uma enorme crise, lembro que há 25 anos atrás também atravessamos uma crise do género assim como quando as ex colónias foram entregues que passou a haver mais procura que oferta de emprego ao qual o patronato abusava como queria. Dias melhores viram pois, penso que com esta crise que também é mundial também dias melhores viram a seu tempo.

(Ch)