18.5.08

Breves momentos...



Existem momentos em que acho que estou destinada a ficar sozinha. Podemos considerar que nos dias de hoje isso até é normal durante um tempo, que é só mesmo uma questão de tempo até conhecer alguém que me faça sentir. Podemos até pensar noutros motivos (desculpas esfarrapadas): a conjuntura nacional, a mudança da relação entre o homem e mulher, ou até culpar os homens por só quererem sexo. Mas a verdade é que até eu me escondo atrás disso (sexo) para não sentir. Convencer-me de que é apenas uma necessidade fisica como outra qualquer que precisa de ser satisfeita sem a necessidade de um compromisso que implica sentir algo por alguém, sentir que perco o controlo, sentir que dou a outra pessoa o poder de me magoar novamente....não quero passar por isso...outra vez. Dar-me por inteiro e acabar por sentir que não recebi o mesmo do outro lado, quando me expus por completo.

A verdade é que existem momentos que já nem recordo o que é sentir, como se tivesse desactivado essa capacidade e penso em como seria doloroso aprender a partilhar novamente algo de mim com alguém. Até mesmo nesta casa nova...não tenho vontade de me relacionar com as pessoas...porque nos dias que correm não tenho vontade de nada. Penso em como seria dificil esforçar-me novamente por uma relação, ceder, porque o que conheci foram sempre cedências da minha parte (e a única culpada disso sou eu). Mas o pior é que nos momentos em que o mundo vai desabar, sinto falta daquele abraço que me faz sentir segura até mesmo no meio da pior catástrofe, porque ele está ali...nos momentos em que quero contar algo importante ou algo insignificante, sei que ele me ouviria! Sonho com um amor demasiado idilico, como foi em tempos...por breves momentos...e agora sou assim. Porque estou numa ilha criada por mim, porque estou numa cidade onde não conheço quase ninguém (E às vezes arrependo-me de ter vindo para Lisboa), porque os homens querem mulheres perfeitas (posso até fazer de conta que acredito nisto) e eu sou tudo menos perfeita.

Não sei se alguma vez irei voltar a ler este texto com alguém do meu lado, talvez nessa altura até me ria dos disparates que disse...mas por agora....é o que penso, sinto e sou...

2 comentários:

criptog disse...

Os momentos podem ser "breves", mas algumas "brevidades" são longas enquanto duram - às vezes é preciso paciência. Não culpes (os outros ou a ti). Atribui responsabilidades, faz escolhas e aprecia o que tens. Quanto ao último parágrafo: eu apostaria que sim.
:)

Sadeek disse...

Nika...isto são fases que a vida tem. Não há quem não passe por elas, são certas como o destino.

Não fiques nem demasiado triste nem demasiado desesperada...são fases...

Um dia muda...para melhor, com certeza! E aí, certamente, irás rir do que disseste.

BEIJÃOOOOOOO ENORME!!!